Dengue é grave ameaça.
Fique atento e previna-se

Só na cidade de São Paulo já houve registro de cerca de dois mil casos de dengue. Número três vezes maior que o do mesmo período de 2014, quando foram anotados 603 casos. Três mortes foram confirmadas pela Secretaria Municipal de Saúde. A doença também se propaga rapidamente pelas mais diversas regiões do Estado.

O nome dengue é uma referência ao estado de moleza e cansaço que atinge a pessoa contaminada pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor do vírus da doença. Ela ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive aqui no Brasil. A situação é mais grave no verão, quando são frequentes as epidemias durante ou imediatamente após períodos chuvosos, como vem acontecendo nos últimos dias.

Início - A doença começa de repente. A pessoa infectada apresenta febre alta (que dura cerca de cinco dias), dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. É comum também aparecerem manchas vermelhas pelo corpo. Os sintomas desaparecem devagar em 10 dias. Alguns poucos pacientes podem ter hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz.

Dengue hemorrágico - Forma grave de dengue com sintomas parecidos no início. Só que depois do 5º dia, alguns pacientes apresentam sangramento em vários órgãos. A pessoa corre risco de morrer.

Alerta - Aparecendo os primeiros sintomas o melhor é procurar uma unidade de saúde. A avaliação médica é essencial.

Contaminação - O vírus entra no organismo pela picada do mosquito Aedes aegypti, que se alimenta de sangue. Importante: não há transmissão pelo contato de um doente ou suas secreções com uma pessoa sadia, nem fontes de água ou alimento.

Tratamento - Como não há tratamento específico para dengue, o que se pode fazer é apenas aliviar os sintomas da doença. Ingerir muito líquido (água, sucos, chás, soros caseiros etc.). Os medicamentos dipirona ou paracetamol podem ser usados. Ao contrário, aqueles à base de ácido acetilsalicílico e anti-inflamatórios, como aspirina e AAS, devem ser evitados. Eles podem aumentar o risco de hemorragias.

Prevenção - Evite o acúmulo de água. O Aedes aegypti coloca seus ovos em água limpa, não necessariamente potável. Por isso, jogue fora pneus velhos, vire garrafas com a boca para baixo e, caso seu quintal tenha formação de poças, faça a drenagem do terreno. Não se esqueça também de lavar a vasilha de água do seu bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d'água e cisternas.

Atenção - 80% dos focos do mosquito Aedes aegypti estão nas residências. O melhor jeito é combater os criadouros do inseto que estão dentro de casas e nas áreas externas como quintal, laje, varanda, jardim e piscina.

O vírus - Existem quatro tipos de vírus da dengue: o DEN-1, o DEN-2, o DEN-3 e o DEN-4. Todos apresentam os mesmos sintomas. Quando infectado por um dos tipos você fica imune a ele mas pode pegar a doença se tiver contato com os outros três.

Para saber mais sobre a doença e saber como de proteger, acesse o site do Ministério da Saúde: www.portalsaude.saude.gov.br


Home
Leia também
Clique na opção
 
Palavra do Presidente
Clique aqui e leia
 
Galeria de fotos
20 anos do SindForte
 
Mande um e-mail para os diretores
 
 
 
Rua Francisca Miquelina, 98, Bela Vista, São Paulo. Telefone (11) 3105.2486. E-mail: sindforte@sindforte.org.br