Sem proposta patronal, Sindicatos
vão preparar ações conjuntas

30/8/2018 - quinta-feira

As negociações salariais com as empresas de carro-forte não avançam. Já tivemos cinco rodadas de negociação, mas, até agora, não houve progresso na definição do reajuste.

Como a enrolação é geral, os dirigentes dos Sindicatos que estão em campanha salarial – São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Distrito Federal – decidiram fazer um encontro, a fim de definir ações conjuntas para dobrar a intransigência patronal.

A reunião será na terça, dia 4 de setembro, em Brasília. Nosso presidente João Passos afirma: "A enrolação chegou ao limite, deixando a categoria insatisfeita em todas estas bases. Aqui em São Paulo, por exemplo, já tivemos várias mesas-redondas sem chegar a uma definição". No Rio de Janeiro, Minas, no Distrito Federal e em Vitória a situação se repete.

Os representantes patronais também querem, a todo custo, impor retrocessos a direitos conquistados em anos de lutas, com a inclusão da reforma trabalhista nas negociações. Não podemos admitir perda de direitos!

João Passos, que integra a Comissão negociadora com outros presidentes de Sindicato, adianta que a reunião em Brasília vai debater estratégias comuns, que podem ser ações conjuntas e simultâneas em todos os estados: "Sem proposta decente, vamos fazer paralisações por local de trabalho. A categoria será mobilizada e convocada a pressionar o patronato".

Nossa pauta está há semanas com o patronal. Os principais objetivos da campanha são manter as conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho e conseguir ganho real de salário.

PAUTA - Queremos repor a inflação (INPC/IBGE), mais 5% de aumento real para os vigilantes e trabalhadores do setor de caixa-forte, tesouraria ou sala de valores (como são chamados nas empresas), além do pessoal administrativo. Outra proposta é o aumento do tíquete-refeição para R$ 37,00 – com cartela cheia para os companheiros de todos estes setores.

Atualmente, o valor está em R$ 32,00 para a guarnição de carro-forte e vigilantes de base. Já para o setor administrativo, tesouraria e sala de valores o valor é de R$ 27,20. Nossa luta é para acabar com essa diferença, garantindo isonomia para todos.

PARTICIPE - Fique ligado com o Sindicato e participe da campanha salarial. É hora de união e mobilização da categoria.
Informações - Ligue no Sindicato, telefone 3105.2486.

Mande um e-mail para os diretores
 
Rua Francisca Miquelina, 98, Bela Vista, São Paulo. Telefone (11) 3105.2486. E-mail: sindforte@sindforte.org.br