Ganhos econômicos, assistência e benefícios marcam nossa trajetória

36

• 15/2/2018 – sexta-feira

O SindForte foi fundado em 16 de fevereiro de 1992. Ao longo destes 27 anos, construímos uma história de defesa dos direitos e seguidas conquistas para a categoria.

Esse crescimento é amplo. Crescem os serviços, cresce a assistência, cresce a ação na base, cresce a atuação no Estado, cresce a sindicalização e crescem também os direitos e conquistas.

Nossa sede é em São Paulo. Mas temos seis subsedes, que funcionam como postos avançados no atendimento à categoria. A sede na Capital é própria. A esse patrimônio somam-se duas Colônias de Férias em Bertioga e ainda temos um terreno em Praia Grande.

Conquistas – Fomos o primeiro Sindicato a conquistar pagamento do Adicional de Risco de Vida. Primeiro no carro-forte; depois na escolta armada. Lideramos a luta pela reblindagem, acabando com as carrocerias “casca de ovo” nos carros-fortes, que não aguentavam nem tiro de 38. Essa mudança salvou muitas vidas.

Tíquete – A lei não manda empresa fornecer tíquete. Mas ele é obrigatório no transporte de valores e também na escolta. A lei não proíbe banco de horas. Mas em nossas Convenções Coletivas banco de horas é proibido. A lei não manda dar desjejum ao trabalhador. Mas nós conseguimos esse direito.

CNV – Nosso Sindicato também foi pioneiro na luta pela criação da Carteira Nacional do Vigilante e o associado é isento de taxa para obtenção da CNV.

Ação – O trabalhador nem sempre tem noção das nossas atividades, mas todo dia o Sindicato funciona e atua. Sede e subsedes estão sempre abertas, o Jurídico está dando assistência, as Colônias hospedam associados e dependentes.

Jurídico – Não é só isso. O SindForte todo dia fiscaliza as condições de trabalho. Pra isso, nossos diretores visitam as empresas, chamam empregadores para mesas-redondas ou fazem denúncias ao Ministério Público do Trabalho. Em outra frente de ação, o Jurídico orienta trabalhadores, abre ações, participa de audiências na Justiça.

Orgulho – O presidente João Passos diz: “Temos orgulho dessa história e agradecemos quem acredita na sua entidade de classe, participa e apoia as lutas da categoria. Sem o Sindicato o trabalhador ficaria na mão do patrão e a exploração só aumentaria”.