Nossos acordos cumprem a MP 936, mas preservam direitos

316

O Sindicato faz acordos pra garantir o emprego e os salários dos trabalhadores. Já fechamos vários nesse sentido. Há duas empresas, porém, que resistem: a Protege e a Blue Angel. A primeira condição para negociar, alerta nosso presidente João Passos, é preservar os empregos.

Devido à pandemia e à grave crise econômica, o SindForte admite o home office e o banco de horas, excepcionalmente. João explica: “Nossas Convenções Coletivas não aceitam banco de horas”. Mas a negociação tem regras. Por exemplo: ao aceitar banco de horas pra garantir o emprego, o Sindicato exige que 50% das extras sejam pagas e a outra meta vá para o banco.

Itens – Os acordos coletivos atuais cumprem a Medida Provisória 936, editada pelo presidente Bolsonaro. Ocorre que, por essa MP, os trabalhadores podem ser muito prejudicados. O Sindicato entra em ação pra evitar prejuízos maiores aos companheiros. Para tanto, cada acordo assegura estabilidade no emprego. Ou seja, durante a vigência dos acordos, a empresa não pode demitir.

Carga – Atenção: para os trabalhadores em carga segura, o Sindicato não aceita banco de horas. Ocorre que esses companheiros fazem viagens longas. Portanto, o banco de horas seria prejudicial a esses companheiros.

MAIS INFORMAÇÕES – Informe-se no Sindicato. Ligue na sede ou nas subsedes. Na sede, o telefone é (11) 3105.2486; na subsede de Campinas (19) 3236.8562; Bauru (14) 3234.2752; São José do Rio Preto (17) 3234.2130; Santos (13) 3232.1364; Presidente Prudente (18) 3221.3766; e Ribeirão Preto (16) 3610.5960. Horário das 8 às 15 horas.