118

As Centrais Sindicais convocaram o Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações, que reunirá milhares de trabalhadores em atos e manifestações no dia 11 de julho (quinta-feira). O objetivo principal é fazer governo e Congresso Nacional atenderem a Pauta Trabalhista, que está travada.

Nosso Sindicato, que tem história e tradição de luta, vai participar. Na sexta (28), o diretor Miguel José Mauro esteve na plenária nacional da Força Sindical, que debateu os preparativos do Dia Nacional de Luta.

Mauro explica que outras entidades, como União Nacional dos Estudantes (UNE) e Movimento dos Sem-Terra (MST), também vão participar dos atos.

Para o presidente João Passos, o atendimento das reivindicações aprovadas na Conclat do Pacaembu, em 2010, só avançará com muita pressão dos trabalhadores. João destaca: “Governo e Congresso só funcionam sob pressão. É o que faremos com as mobilizações do dia 11 de julho”.,

Pauta – Os trabalhadores se manifestarão por jornada de 40 horas; fim do Fator Previdenciário; contra o projeto que amplia as terceirizações; reajuste digno aos aposentados; fim das demissões imotivadas (dispensa sem justa causa); reforma agrária; 10% do PIB na Saúde; 10% do PIB na Educação; fim dos leilões do petróleo.

Formas – Várias categorias, como estivadores, metalúrgicos, trabalhadores da construção pesada, construção civil, entre outros, decidiram que vão parar suas atividades no Dia Nacional de Luta. Outras categorias farão manifestações e atos públicos em locais de grande concentração nas maiores cidades do País.

O presidente João Passos orienta nossa categoria, no transporte de valores e escolta armada, para que se integrem às mobilizações. “É importante que todos participem dos atos no dia 11. É para o bem de todos e por um Brasil melhor”, afirma.