Aumento será de 11% na escolta armada

160

O jornal Diário de S. Paulo repercutiu nesta terça (22) a conquista do reajuste do salário e no tíquete-refeição dos trabalhadores da escolta armada. O acordo coletivo negociado pelo Sindicato foi fechado na noite da quinta (17), na segunda rodada com a bancada patronal.

A matéria, foi manchete na página nove do jornal – coluna Diário Sindical. O texto, assinado pela jornalista Maria do Carmo Caçador, ressaltou o aumento de 11% no salário da categoria – válido a partir de 1º de janeiro. O aumento de 15% no tíquete-refeição, que passou de
R$ 18,25 para R$ 21,00 foi outro destaque da matéria.

O jornal também entrevistou nosso advogado, dr. César Graniéri. Ele frisa: “A negociação foi uma das mais difíceis dos últimos dez anos. Negociamos até chegar a um patamar que oferecesse ganho real”.

Benefícios – O acordo garante ainda que haverá tíquete para o café da manhã nas empresas que não dispõem de lugar para desjejum ou não fornecem o café a seus empregados. O valor é de R$ 5,00. Nestas empresas, o valor do auxílio-alimentação será de R$ 26,00.

Nosso presidente João Passos afirma: “O Sindicato foi pra cima, apertou os patrões e conseguiu aumento real no salário, aumento maior no tíquete e o tíquete para café da manhã”.

As empresas queriam mudar o sistema do convênio médico, passando de familiar para particular, o que elevaria em muito o custo. O Sindicato foi firme e manteve o plano familiar. Reajuste, se houver, terá de ser igual ao índice para os salários.