Carro-forte mantém estado de greve Não houve acordo no TRT. Haverá nova audiência na quinta (5)

148

A audiência de conciliação com o sindicato patronal, realizada nesta terça-feira (3) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região, na Capital, não chegou a um acordo sobre nossa pauta de reivindicações. Nosso presidente João Passos afirma: “Os patrões mantiveram a oferta de reajuste de 4% nos salários, mostrando que ainda não querem negociar. A mobilização nas empresas vai continuar”.

Na audiência, os representantes dos patrões não avançaram, reapresentando a oferta que a categoria já rejeitou, porque não repõe nem a inflação desde a última data-base. Por isso, o estado de greve continua e os companheiros devem permanecer mobilizados, pois podemos retomar a paralisação.

TRT – No Tribunal, a juíza Anelia Li Chum apresentou proposta de conciliação, que prevê a reposição da inflação (INPC/IBGE) com mais 1,5% de aumento real nos salários (total de 6,36%). Ela também propôs melhorias em outros itens da pauta, marcando nova tentativa de negociação na próxima quinta-feira (5), às 14 horas.

Itens – Além do aumento real, a juíza propõe a formação de uma comissão paritária, que deverá iniciar a discussão sobre a implantação do PPR ou PLR (participação nos lucros). Também estabelece o fim do teto para aplicação do reajuste no setor administrativo, além
de aumento do Piso dos companheiros para R$ 1.060,00.

O presidente João Passos ressalta que o SindForte e os vigilantes de carro-forte querem negociação, mas não aceitarão arrocho salarial. Ele diz: “Vamos discutir a proposta da juíza nas garagens, democraticamente. A categoria é que vai decidir a posição que levaremos ao Tribunal na próxima audiência”.

Informações – Durante nossa mobilização, mantenha-se em contato com o Sindicato. Ligue 3105.2486.