Confederação cobra posição dos bancos na segurança do transporte de valores

184

A nossa Confederação (CNTV) teve audiência dia 16 de dezembro, em Brasília, com o procurador-geral do Ministério Público do Trabalho, Otávio Brito Lopes, que prometeu entrar em contato com a Febraban (federação dos Bancos) para cobrar a retomada das negociações sobre os problemas relacionados à segurança no transporte de valores.

“Nós precisamos dialogar para resolver questões inquietantes, que colocam em risco a vida de vigilantes. Estamos cansados de ler notícias sobre mortes de trabalhadores, vítimas de tiroteios em ações cada vez mais ousadas das quadrilhas. A Febraban precisa assumir responsabilidades”, afirma o presidente da CNTV, José Boaventura Santos.

O encontrou ocorreu uma semana após o boicote dos banqueiros, dia 10 de dezembro, à terceira reunião mediada pelo Ministério Público para discutir os problemas enfrentados pelos trabalhadores nas operações de carro-forte.

Além do presidente da CNTV, a reunião foi acompanhada pelo diretor de Assuntos de Transporte de Valores, Carlos José das Neves, e o assessor jurídico, Ubiramar de Oliveira. Também estavam representantes da Confederação dos bancários. A expectativa é que a Febraban aceite a retomada do diálogo com bancários e vigilantes.

Mais segurança – A mediação começou a partir de representação da CNTV em razão das mortes, feridos e traumatizados no abastecimento de caixas eletrônicos. A primeira reunião aconteceu no dia 13 de outubro, com a presença do nosso diretor Miguel José Mauro. A segunda, ocorreu dia 9 de novembro, quando a Febraban pediu um prazo de 30 dias para avaliar documentos apresentados pelos dirigentes sindicais.