Contra avanço do Coronavírus, fechamos acordo com Prosegur

1053

A saúde de todos nós corre risco. O avanço do Coronavírus é muito sério e medidas cabíveis precisam ser tomadas sem demora, especialmente as que ajudem a prevenir contágios e transmissões.

Consciente disso, o SindForte firmou o primeiro acordo com a Prosegur e encaminha tratativas também com a Brinks. Basicamente, o acordo coletivo protege trabalhadores que integram os grupos de risco.

Nosso presidente João Passos explica: “Trabalhadores acima dos 60 anos, gestantes, mães que estejam amamentando e pessoas portadoras de certas doenças crônicas precisam ser poupadas”. O governo cogita adotar diversas medidas, mas o SindForte se antecipou.

Nas considerações que abrem o termo de acordo, fica clara a preocupação com a manutenção dos empregos, “neste momento crítico da economia brasileira” – o País já sofria com recessão prolongada e agora se vê às voltas com uma pandemia de escalara planetária.

Uma preocupação que une empregados e empregadores é a higiene. Para tanto, nós temos que adotar novos procedimentos e hábitos, cuidando de lavar as mãos, utilizar álcool gerar e evitar, ao máximo, aglomerações humanas, que são foco de contágio.

Férias – Na Prosegur, haverá concessão de férias vencidas ou sua antecipação. O acordo, que cumpre as normas da Organização Mundial da Saúde, tem validade de 18 de março a 31 de dezembro. São quatro cláusulas, com artigos que detalham sua eficácia.

Pagamento – O Parágrafo terceiro, Cláusula III, estabelece: “O pagamento da remuneração das férias poderá ser efetuado em até três (3) dias após o início de seu gozo”.

Assinam – Pelo SindForte, João Passos da Silva; pela empresa Prosegur, Francisco Apolinário Ferreira e Mauro Sérgio Campos.