Greve por pagamento de PLR na Protege continua

166

Segue firme nossa mobilização para garantir a implantação do programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR/PPR) em todas as empresas de transporte de valores da base. Ontem (5), o SindForte iniciou paralisações nas garagens, começando pela Protege. A paralisação continuou nesta quarta (6), com adesão maciça da categorianas garagens de São Paulo, Campinas e Santo André. E vai seguir forte, por tempo indeterminado, até a empresa abrir negociações.

“Paramos primeiro a Protege e vamos manter a mobilização, até que a empresa negocie”, afirma nosso presidente João Passos. Ele ressaltaque a adesão da categoria aumentou no segundo dia e os veículos não saíram das garagens. João enfatiza: “Os companheiros estão de parabéns, pois mostraram que a categoria tem força e disposição de lutar por seus direitos”.

Reforço – A mobilização ganhou força com o apoio da Força Sindical de São Paulo, que deslocou diversos ativistas para ajudar a mobilização nas garagens. “Agradecemos a participação dos trabalhadores de outras categorias, que estão reforçando a nossa luta”, frisa nosso presidente.

Valorização – Para o presidente da Força Sindical São Paulo, Danilo Pereira, a intransigência das empresas precisa acabar. “Essa postura dos empresários tem que ser reavaliada, pois o setor tem alta rentabilidade. E os trabalhadores arriscam a vida todo dia, para garantir os ganhos das empresas. Eles merecem ser valorizados”, diz.

Atualmente, apenas os funcionários da Prosegur e Transbank recebem o benefício. “Mas queremos PLR/PPR para todos. Está na lei. É nosso direito, e vamos correr atrás”, completa João Passos.

Companheiro(a) – Vamos unidos à luta. Ajude a organizar a paralização na empresa, não aceite pressão nem coação para não participar da greve. Juntos somos fortes e assim sairemos vitoriosos dessa batalha.

Fique em contato com o Sindicato. Ligue 3105.2486