Pressão garante renda emergencial durante pandemia

212

O Senado aprovou na segunda (30) auxílio emergencial por três meses, no valor de R$ 600,00 aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus.

O projeto superou a proposta do governo, que defendia o pagamento de até R$ 200,00 para autônomos. Famílias receberão até R$ 1.200,00. A matéria segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Para o diretor técnico do Dieese, Fausto Augusto Junior, a pressão da população, movimentos sociais e Centrais Sindicais fez a diferença. “Já que o governo é incapaz de fazer essa coordenação, o Congresso assumiu esse lugar, fazendo o que precisa ser feito”, ele afirma.

A proposta prevê o pagamento de auxílio de R$ 600,00 a R$ 1.200,00 por família com renda per capita inferior a R$ 522. Não terão direito ao auxílio aqueles que recebem benefícios previdenciários, assistenciais ou seguro desemprego, exceto o Bolsa Família. Mulheres chefes de família receberão R$ 1.200,00.

A estimativa é que o auxílio emergencial possa alcançar até 70 milhões de pessoas. O presidente do SindForte, João Passos, afirma: “A gravidade da situação que estamos atravessando exige medidas corajosas por parte de todos nós”.