REUNIÃO QUINTA TEVE POUCO AVANÇO. QUARTA RODADA SERÁ DIA 30

713

Ontem, 24, aconteceu reunião da campanha salarial entre o SindForte e os patrões. Foi a terceira. E online.

A data-base no transporte de valores é 1º de julho. Negociação está atrasada. Mas quem atrasou foi o setor empresarial.
Nesta quinta, até Marcos Guilherme, que preside o patronal, participou. Houve um pequeno avanço. Mas o SindForte e a Comissão de Trabalhadores acharam insuficiente.

Portanto, haverá nova rodada. Será presencial, no patronal, na Casa Verde. Naquela sede, dia 3, aconteceu o primeiro encontro, quando o patronal propôs só 80% do INPC no salário, e mais nada.

Avanço – Nosso presidente João Passos explica: “Agora, eles chegaram ao INPC cheio e mais 1% do tíquete-refeição”. Mas a bancada de trabalhadores recusou.
O próximo passo será a reunião presencial quarta (30), no patronal, em SP, a partir das 10h30.

João Passos afirma: “O atraso na definição é ruim, pois gera incertezas e desorganiza as finanças dos trabalhadores. Até porque os boletos vencem sempre na data marcada”.

Olho vivo – Patrão acha que pode dar com uma mão e tirar com a outra. Nesta quinta, o patronato quis mexer na compensação de uma hora extra por dia. Proposta rejeitada por João, Cortes, De Luiz, dr. César Graniéri, diretor Cláudio e os companheiros da Comissão, como Ezequiel (Prosegur-Campinas) e Juliano (Brinks-Campinas). Pela bancada empresarial participaram Jorge, Rogério, o dr. Renato, representantes de empresas, como a Brinks, e o próprio Marcos Guilherme, presidente do sindicato patronal.
Tíquete – Um dos impasses está no valor do tíquete-refeição. Nós reivindicamos R$ 50,00.

Mobilização – Pedimos ao trabalhador ficar em contato com o Sindicato, na sede ou subsedes. Esperamos que na próxima quarta a situação se resolva. O trabalhador não pode sofrer atrasos e os próprios clientes das empresas ficarem na insegurança.

O presidente João lembra: “O caipira manda bater na cangalha pro burro entender. Por isso, quase houve paralisações nesta sexta, 25”. Nosso Sindicato continuará perseverante, esperando que os patrões tenham bom senso.

MAIS – Ligue na sede e nas subsedes. Mobilize-se!