Segue combate a irregularidades na escolta

138

Nosso Sindicato vem tomando uma série de medidas para combater irregularidades das empresas de escolta armada, que não cumprem a Convenção Coletiva e negam direitos dos trabalhadores. A diretoria convocado as empresas a mesa-redonda, na sede e no Ministério do Trabalho, além de acionar o Jurídico quando os patrões se negam a respeitar os direitos.

Veja alguns casos:

BRV – Em reunião na sede, dia 27 de fevereiro, nosso Sindicato cobrou o pagamento dos reflexos do Adicional de Risco de Vida nas horas extras (dezembro e janeiro) e solução de problemas com diárias de viagens e vale-refeição.

Execução – Dispensou sem justa causa e não pagou direitos, além do salário de janeiro. Na sede, dia 18 de fevereiro, se comprometeu a quitar as verbas de forma negociada.

Conan – Convocada ao Ministério do Trabalho, em 30 de janeiro, por situação irregular de empregados nas base de Campinas e São Paulo.

Problemas: atrasos no pagamento e entrega de vale-alimentação e vale-transporte. Após a negociação, recebeu prazo de 30 dias para regularizar a situação, mas não cumpriu. Entraremos com ação de cumprimento na Justiça, intimando a empresa e os tomadores de serviço.

Controller – Chamada à mesa-redonda no Ministério do Trabalho, dia 15 de janeiro, por atraso do pagamento e do 13º salário, recebeu prazo de 30 dias para regularizar a situação.

Gentleman – Empresa flagrada efetuando pagamento de hora extra e adicional noturno fora do holerite. Também por atraso no salário, falta de convênio médico e coletes à prova de bala fora das especificações. Teve de comparecer à mesa-redonda na sede, dia 9 de janeiro.

Esquadra – Com atraso de pagamento e irregularidades nas diárias de viagem e horas extras, foi chamada ao Ministério do Trabalho, no dia 10 de janeiro.

SSLL – Atraso no pagamento, remuneração por missão (pacote) e fornecimento de vale-refeição irregularmente. Quando não tem serviço, a empresa também manda o vigilante pra casa e anota o dia como falta.

Nosso Sindicato agirá com rigor contra todas as empresas que não estão cumprindo os acordos e desrespeitando a Convenção.