SindForte faz manifestações em bases da Brinks e Protege pela PLR/PPR

140

Com carro de som e distribuição de folheto, nossos diretores marcaram presença nas garagens da Brinks e da Protege (base Oeste na Capital, Campinas e Santo André), segunda e terça-feira (5 e 6), para organizar a mobilização dos vigilantes pelo pagamento de Participação nos Lucros (PLR ou PPR) nas duas empresas.

As duas empresas são as únicas que não querem negociar o pagamento do benefício. Fizemos mesa-redonda com a Protege, dia 23 de outubro, na DRT/Centro; e com a Brinks, dia 24, na DRT/Lapa. No entanto, elas compareceram apenas para dizer que não havia interesse em negociar a PLR/PPR com o Sindicato.

O presidente João Passos afirma: “Estamos iniciando a luta, para dobrar a intransigência patronal. Será que é uma greve que eles querem? Depois não venham dizer que não avisamos”.

Lucros bilionários – João lembra que os patrões têm grandes lucros. O Grupo Protege, segundo o próprio site da empresa, tem faturamento anual superior a R$ 1 bilhão e é um dos maiores do setor no País. A Brinks comprou a Sebival há cerca de três anos.

Violência – Enquanto elas negam a PLR/PPR, os riscos só aumentam para o trabalhador. A violência descambou, nossa profissão vive na alça de mira dos criminosos, mas os empresários só pensam nos lucros. Não querem valorizar o vigilante que se arrisca todo dia.

Até agora, em nossa base, apenas a Prosegur implantou um programa de participação nos resultados, que é distribuído entre os funcionários. Por isso, o Sindicato está negociando com as empresas, a fim de que todos recebam o benefício – que é um direito dos trabalhadores, assegurado pela Lei 10.101/2000.

Mobilização – A receptividade nas garagens foi grande, mostrando que os trabalhadores estão dispostos a partir pra luta pela PLR/PPR. No final do mês, haverá novas mesas redondas: Protege, dia 27; e Brinks, dia28. “Os companheiros deixaram claro que, se a negociação não avançar, as empresas param”, ressalta João Passos.

Informações – Fique ligado com o Sindicato, ligue na sede ou subsedes.