Trabalhadores da Prosegur na luta pela unificação de condições e direitos

161

Os vigilantes brasileiros empregados da Prosegur começam, este mês, a participar da mobilização articulada nos 13 países onde a empresa está presente, com o objetivo de unificar condições de trabalho, conquistas e direitos. Só no Brasil, são 28 mil trabalhadores presentes em 19 estados. A empresa possui 75 mil empregados espalhados por 13 países da Europa e da América Latina.

A proposta de um Acordo Coletivo Global foi apresentada à alta direção da Prosegur, em fevereiro de 2010, pela UNI – Sindicato Internacional dos trabalhadores da área de prestação de serviço, no qual o setor de segurança privada está organizado em rede mundial – em uma reunião na sede da empresa em Madri, Espanha, com a presença do presidente da nossa Confederação (CNTV), José Boaventura.

A proposta dos Sindicatos para a Prosegur prevê:

1. Igualdade de condições e direitos entre trabalhadores dos diversos países;

2. Implementação de políticas de proteção, segurança, saúde e higiene no ambiente de trabalho;

3. Salários dignos e iguais, com base nos maiores salários;

4. Condições de trabalho decentes;

5. Direito e liberdade de organização sindical;

6. Fornecimento de equipamentos (inclusive armas e munições) condizente com as necessidades de segurança e proteção dos trabalhadores;

7. Respeito às convenções coletivas, normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e legislações nacionais.

Fonte: CNTV
www.vigilantecntv.org.br