VALORIZE A CARTEIRA NACIONAL DO VIGILANTE

504

Quem entra agora na profissão já chega com a Carteira Nacional do Vigilante (CNV) em mãos. Mas nem sempre foi dessa forma.

Aliás, travamos uma luta de vários anos até conseguir, em 1999, junto ao Ministério da Justiça e à Polícia Federal a instituição desse documento que identifica o verdadeiro profissional da vigilância privada, do transporte de valores e da escolta armada.

Antes da CNV, o mercado de trabalho era infestado de gente fazendo bico, sem qualificação e aceitando as piores condições de trabalho. A Carteira veio profissionalizar o setor e exigir das empresas uma conduta moral mais adequada.

A Carteira é obrigatória e deve ser renovada a cada quatro anos. Quem trabalhar sem CNV é clandestino e deve ser denunciado. Empresa que contrata profissional sem qualificação comete crime contra a organização do trabalho.

Fique atento: profissional defende profissional.

Trabalhador desaprova atual Modelo da CNV

O pessoal reclama da CNV em papel. A queixa é justa. A Polícia Federal deveria retomar o modelo anterior, em material mais duro, como um plástico forte ou em PVC.