Vigilante é morto a tiros em mais um ataque a carro-forte

175

A escalada de violência não para, apesar das nossas denúncias e pedidos de providências às autoridades competentes. Por isso, mais uma vez, o Sindicato é obrigado a lamentar uma tragédia, que vitimou um companheiro.

Na noite de segunda (12), uma quadrilha explodiu um carro-forte da Protege no quilômetro 30 da rodovia Alkindar Monteiro Junqueira (SP-063), em Itatiba (SP). Um vigilante da empresa foi morto no ataque e dois policiais militares ficaram feridos.

O presidente João Passos comenta: “O Sindicato tem cobrado soluções dos órgãos competentes, mas nada tem sido feito. A violência só aumenta, tornando a atividade cada vez mais insegura”.

Assalto – Três carros-fortes passavam pela rodovia que liga Bragança Paulista a Itatiba quando foram abordados. Cerca de 15 criminosos que participavam da ação chegaram em dois carros e uma caminhonete. Eles estavam armados com fuzis e já chegaram atirando. A munição pesada ultrapassou a proteção do veículo.

Dois carros-fortes conseguiram fugir, mas um terceiro foi parado pelos ladrões e o motorista acabou caindo no barranco. O vigilante que estava ao lado do cofre foi baleado e morreu no local. O equipamento foi explodido pelo grupo, que fugiu com parte do dinheiro.

Protesto – Desde a madrugada desta terça (13), vigilantes da Protege fazem manifestação em frente à empresa em solidariedade ao companheiro assassinado e à família. Os trabalhadores decidiram que nenhum carro-forte vai sair da base.

Solidariedade – Diretores do Sindicato estão presentes no protesto na empresa e aciononaram o Departamento Jurídico para acompanhar o caso. Também prestaremos toda assistência necessária à família do companheiro.