Sindicato defende que categoria tenha já acesso à vacinação

450

Durante a pandemia, nossa categoria não parou de trabalhar. Nesses longos meses, os companheiros do carro forte e da escolta estiveram na linha de frente. Ou seja, expostos.

Já o pessoal da sala de valores manuseou dinheiro vivo, sob risco permanente de contaminação, pois as notas são um meio comprovado de ajuntamento do vírus.

Por isso, reivindicamos acesso à vacina para nossa categoria. O presidente João Passos adianta: “Não queremos furar fila de ninguém. Apenas que nossos trabalhadores sejam tratados dentro das prioridades”.

O Sindicato, desde o início da pandemia, atua pela higienização dos locais de trabalho, veículos e armas. Sempre fomos firmes na cobrança de máscara, álcool em gel e do distanciamento nas empresas. Mas isso não basta. Precisamos de vacina pra trabalhar com segurança.

Patrões – O SindForte fará contatos com as empresas, dentro da ideia de encaminhar um documento conjunto à Secretaria de Saúde do Estado e ao governador João Doria.